Gato e rato

É impressionante — e quase revoltante — a capacidade das pessoas de procurarem e buscarem quem não às procura. Pior que isso, só eu.

É claro que eu (me) identifico, claro que eu (me) diagnostico. Mas o que eu posso fazer além de rir — chorar não dá, já sofri com isso, agora chega —, apreciar a cena, até dar um ou dois palpites, mas girar com força nos calcanhares e seguir por outro caminho? É como se na ponta do meu olhar já tivesse uma encrenca. Se isso fosse causa e não conseqüência, diria até que gosto. Eu nem procuro, eu tropeço.

Pois se tiver que levar uma vida inteira pra mudar esse padrão, então que seja. Eu mudo, nem que seja por pura teimosia. Venham, encrencas; façam fila! Meu olho tá treinado e a caneta vermelha também.