Each day is Valentine’s Day

Três meses: se por um lado parece que foi ontem e me faço adolescente, por outro já te sinto como uma presença constante, parte indispensável da minha vida. Eu só queria que você soubesse que com você eu sinto vontade de ser (mais) feliz.

Amo você.

Keep walking

Meu caminho, pelo visto, é outro.
E há de haver… algum dia, em algum lugar.

Sim, eu vou ter um treco daqui a pouco!

COMO ASSIM? SÓ AMANHÃ??? ARGH!!!

+

Você já rezou hoje? Aproveita, ajoelha aí e manda bala! E acende uma vela também. E um incenso. E faz uma promessa. Sei lá, improvisa! Faz alguma coisa!

Ai, deus…

Ipsis literis

Ao iniciar esta nova etapa da minha vida, prometo buscar na experiência de cada dia os ideais de verdade e de justiça; prometo manter acima das aspirações pessoais, o sentido de paz e da harmonia coletiva; prometo que, na luta que se inicia, respeitarei o espaço de cada indivíduo; prometo que lutarei por minha justa realização profissional; porém preservando, acima de tudo, a minha dignidade e a dignidade de cada homem.

Assinado, Super-Homem — só faltou isso.

Você vê que o bicho tá pegando quando tem de mandar o juramento da sua própria colação de grau via fax. Festa? Esquece! Vou brindar com água mineral. Sem gelo. Sem gás. E diet. Por enquanto — me aguardem!

Noblesse

Ele é nojento. Não muito, apenas um quê de esnobe e, portanto, politicamente incorreto — bem, e desde quando a aristocracia é politicamente correta? Pensando bem, ele é muito esnobe, mas escreve bem e tem umas sacadas geniais — quase me dá vontade de assistir American Idol, por motivos não muito nobres, confesso.

+

Agora me diz um negócio: o tal do William Hung tinha mesmo que se chamar William, ou seja, Guilherme? Quem foi que deixou? :P

Roda-viva

Daí que eu, que já tava nos cascos por causa de um teste aí que se aproxima, recebi hoje uma ligação da produção do outro teste lá, que nem tinha dado em nada — quer dizer, deu namoro! — e até já fazia um bom tempo, perguntando se eu não poderia fazer uma segunda audição. E lá vamos nós de novo!

É bom que dilui a tensão.
Este mundo às vezes dá tanta volta que me deixa tonto!

Assim na terra como no céu

Sol: Atitude séria diante da vida e pensamentos um tanto pesados tendem a estragar a boa comunicação com as pessoas à sua volta. Um passeio e viagem para perto são serão agradáveis se você estiver acompanhado de quem entende seus valores e sentimentos. Afaste a desesperança. Lua: A proximidade entre a Lua e Saturno no dia de hoje contra-indica atividades e exercícios que diminuam sua resistência física, como esportes violentos, companhia de gente deprimida e pessimista, pensamentos de descrédito e devalorização a seu próprio respeito. Cuide-se com amor. (Folha)

Ah, vá! Jura?
Fala isso pra chibata que tá ali, olhando pra mim.

+

Tem sido difícil. É difícil quando o último pensamento que se tem ao deitar a cabeça no travesseiro e o primeiro, quando se levanta, é sempre o mesmo — sempre a mesma contagem-regressiva, a mesma auto-crítica, a mesma ansiedade que me trava e me explode. E eu sigo na minha luta diária comigo mesmo porque a verdade é esta: superar-me é o maior desafio, o resto não depende só de mim.

+

Justiça há de ser feita. Você torna tudo mais fácil e (quero crer) mais possível quando me abraça e diz que me ama. Como se meu palco se enchesse de estrelas.

+

E uma semana é tudo o que eu peço: uma semana pra voltar a ser gente — uma semana pra lavar a alma ou os olhos. Se você achar que eu tô em falta, por favor, releve. Se você achar que eu exagero, pro favor, entenda. Se você achar que eu não te amo, por favor, espere! Nunca nesta vida disse que amei alguém sem tê-lo, sem sê-lo, mas hoje não sou mais um super-herói: minha capa é um emaranhado de fios onde meus pés tropeçam. Hoje sou tão humano quanto uma dor.

Quem sou eu? Onde estou?

Céus, definitivamente eu detesto ficar ansioso.
Não confio muito em mim assim, perco o controle.

+

Percebeu o hint psicológico? É, eu também.

Honra eu mérito

(…) O Guilherme é um jovem cantor com excelente material vocal e de grande sensibilidade artística. Tem uma voz equilibrada, afinada, de timbre marcante, e uma cobertura ágil e potente. Tem ótima leitura musical e boa formação musical teórica e histórica. (…)

Quando eu pedi uma carta de recomendação não imaginava, conhecendo a tia — dá pra perceber que eu estabeleço, mesmo que não queria, uma relação de pai/mãe e filho com alguns dos meus mestres, não? — como eu conheço, que eu ganharia um presente desses. Não que não seja verdade, mas sabe como é, depois de seis anos você acostuma ao estilo, aos atritos e aos elogios espartanos quase sempre acompanhados de senões; a verdade é que nós dois somos uns ossos duros de roer — touro e capricórnio, já viu!

Dá vontade de pendurar na parede, ao lado do diploma.
Orgulho, sim. Afinal, os seis anos não foram à toa!

Chuva e Sol

Daí você acorda antes do dia pra dar um pulinho até Campinas. Você, pessoa formada, um bacharel (ói, que chique!), pura maestrice, tem que ir atrás de uma carta de recomendação da tia, vulgo Profa. Dra., de um certificado de que você de fato é um músico formado, regente, cantor, um espetáculo, e de um histórico escolar. E pra quê? Pra pagar APENAS R$265,50 pra tirar aquela PORRA daquela carteirinha da OMB — eu gostaria de chamar de Ordem Muito Besta, mas infelizmente ainda é a Ordem dos Músicos do Brasil — que não faz nada, não serve pra nada além de te dar o direito de ser músico! — juro, eu não precisava de seis anos estudando numa das melhores universidades do país pra isso, bastava fazer uma prova muito besta na Ordem Muito Besta e tá valendo.

Mas daí você entra na Laboratório de Informática pra passar o tempo, afinal, não tem ninguém além de você aí em pleno fevereiro antes das 10h da manhã. E então, eis que então, você descobre que o seu amor te mandou um cartão lindo, meigo e fofo, e apaixonado, e dizendo que tá com saudade, e que não agüenta te ver apenas umas poucas horas por dia, e que não gosta de ficar longe de você, e muito coraçãozinho nessa hora, e, e, e… Onde é que eu estava mesmo? Ah, sim, reclamando que o próximo ônibus só sai daqui às 13h!

Mas, ai, tá tão lindo o dia que até dói!

+

Um adendo: ora vejam só, alguém lembrou que hoje é Valentine’s Day? Eu não. Nem ele. Adoro essas coisas sem querer (querendo)! Ainda mais porque acho que simpatizo mais com a data do hemisfério norte, herança de uma festa pagã em prol da união e fertilidade, do que com a data nossa, fruto de uma estratégia de marketing — sabiam dessa? Se bem que é uma desculpa a mais…

Jade informa (que dói!)

Britânica é condenada por arrancar testículo de amante com a mão.
(Uol, Reuters, ou num tablóide perto de você, mas cuidado com os bagos)

+

Unhas compridas são um problema mesmo, eu sempre digo.
(Ué? Dizer o quê? Alguém acorrenta essa doida! NÃO! A JADE NÃO! A OUTRA!)

Porque eu sou marinheiro de um mar só

Freqüentas minhas mais estranhas fantasias
E todas as manhãs és o meu pão e o leite
Me salvas do jejum nas madrugadas frias
E a noite sempre volto a te pedir: me aceite

Quero-te mais do que imaginas ser possível
Te trouxe um búzio mágico dessa viagem
Marina melodia ao pé do teu ouvido
Já que pensas que sou um marinheiro audaz

Faça de conta que nada disso conta
Que não importa, exceto estarmos outras vez aqui
Abra-me novamente a tua porta
Pois eu jamais parti
(Todos os Lugares, Suely Costa / Tite de Lemos)

Lembre-se: ninguém teve um carnaval melhor que o meu.

Os sete gatinhos

Penso que o público de teatro paulistano está ficando retardado. Não equivocado, não desinformado, retardado mesmo, tacanho, besta e, por que não dizer, bobo. Talvez seja em decorrência do humor chinfrim que hoje é veiculado nos canais de TV e serve de padrão para algumas montagens descartáveis.

Por exemplo, não sei como pode uma montagem de Nelson Rodrigues — uma boa montagem, por sinal, limpa e inteligente nas suas sutilezas — gerar tanto riso. Aliás, eu não sei o que leva uma platéia daquelas a assistir tal peça, pra começo de conversa. Talvez seja o preço bacana, o teatro dentro do shopping ou, de novo, status — “eu vou ao teatro, eu sou chique, inteligente, culto…”.

Imaginem a cena. O personagem diz para a amante sobre a esposa que agoniza:
— Não era úlcera, era câncer.
E a platéia irrompe:
— HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

O pai chama às filhas de vagabundas, à mulher, com desprezo, de gorda, entrega a filha ninfeta a um velho de aparência asquerosa (muito bem interpretado, por sinal) e depois ao médico da família que posteriormente se enforca. E a platéia, de novo:
— HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

E assim foi em cada uma das cenas mais tensas ou em cada fala mais ácida: débeis gargalhadas de um público que simplesmente não compreendeu que o único riso ali cabível seria o de nervoso, tão desconfortável que é o retrato humano do autor.

Uma peça ótima, um público estúpido; nem tudo é perfeito.

Mutirão

Não tá fácil, eu sei. Pra mim mesmo não tá fácil e um pouquinho, mas pra alguns não tá fácil e meio, duas vezes isso, e por aí vai. Então, não custa nada pra quem pode dar uma forcinha, por menor que seja (como divulgar, por exemplo).

Acessem: http://rifarifa.blgospot.com. Ajudem.

A ordem do divino espírito de porco

Eu tenho uma amiga (sem nomes, ok? *grin*) que gosta de rituais. Aliás, ela é boa nesse troço de cerimonial. O mais interessante deles deve ser o de cantar e dançar “Xanadu” em frente ao entregador de pizza — mas veja bem, ele tem que estar usando capacete, estendendo um Guaraná diet e segurando duas pizzas (uma marguerita e outra à moda da casa).

Tenho certeza de que o rapaz saiu dali… iluminado.

Lava roupa todo dia

Duas chuvas prima-irmãs (ou será primas-irmãs? eu nunca sei, dgoga!) do dilúvio tomadas no mesmo dia, e dia de Iemanjá! Isso tem que significar alguma coisa…

Pelo menos devo ter lavado até a alma! :)

Eu sei que tá em cima da hora

Não me perguntem por que o bloco sai hoje, eu não tenho a mínima idéia. Só sei que é pra ir lá prestigiar, pois a batucada é boa e minha irmã é linda. :)

+

Salve, mãe!
Senhora das ondas
Estrela do mar
Inunda meus dias com tuas águas
Invade meu peito com teu amor
E cuida — eu te rogo! — dos corações
Errantes que têm no fundo dos olhos
O suspiro perdido das tardes de sol
Em teu manto de areia e prata

Iemanjá, odò íyá!
Mãe, Rainha do Mar.

Requiem para 150 raposas

Uma bolsa de pele de raposa, que tem mais de 50 caudas de bichos — isso mesmo, 50 para uma única bolsa — custa R$8.150 na loja de Roberto Cavalli, na rua Bela Cintra. Foram trazidas três da Itália. Só duas foram vendidas. A que sobrou está sendo liqüidada por R$5.705.

Deu na Folha, domingo. Pois eu torço é muito para que os cachorrinhos fofos e perolados das distintas madames sejam acometidos por um surto selvagem e arranquem um a um os tantos rabinhos das suas bolsas. Que tenham pesadelos daqui até a eternidade com raposas selvagens lhes arrancando os cabelos.

Falando sério, não sei o que leva uma pessoa a gastar uma fortuna num vestido — ah, algumas das lojas super famosas também fazem promoção —, mas tudo bem, quer gastar, gasta, eu também tenho os meus sonhos de consumo, por mais modestos que a realidade me permita ou por melhores que eles me pareçam. No entanto, ninguém me enfia na cabeça que uma crueldade dessas é válida onde um similar sintético cumpriria a mesmíssima função, puramente estética.

O mundo civilizado me espanta.

Elétrico

Fomos assistir Elektra. Os efeitos computadorizados no meio das coreografias das lutas cansa um pouco, como meu lindo bem disse. E acho que se eu conhecesse melhor os quadrinhos iria achar o filme pior. Mas como eu não conheço, o filme é… legal. Ponto.

Nada que um par de mãos dadas não resolva.

+

Essa coisa de ficar recebendo convite pra comunidade, convite pra ser amigo, contatos do msn — só falta dizer “me liga!” — ou e-mails que dizem “oi, me fala mais de você”, como se estivéssemos tomando um drink, de quem nem me conhece, pela net cada vez me irrita mais. Afinal, tem tanta coisa de mim por aqui pra começar! Soa como um interesse falso, superficial. Ai, que net-preguiça!

— Ah, mas como você é antipático!

Sou? Acho que não. A diferença é que eu acredito que amizade mesmo é algo que acontece quando há alguma sintonia; nunca fui fechado a conhecer gente. Então, se alguma pessoa me interessa eu vou me mostrar interessante pra ela, antes de mais nada. Não vou sair perguntando compulsivamente quem é você, o que você faz, do que gosta, quantas vezes você trepa, vou é dizer quem EU sou. E você, sinta-se muito à vontade pra fazer o mesmo. Isso sim é estabelecer contato.

+

Apareceu um xampu aqui em casa com os seguintes dizeres no rótulo: “Contém: Minerais Complexados”. Eu não uso isso nem a pau! Vai saber o que um mineral complexado vai fazer com a aminha cabeça. Manda ele pra um psicólogo antes! :P

+

Eu tava falando de amor, né? Então, é isso aí. Muitos violinos.