Cansado

Tô cansado. Só não sei muito bem ainda como descansar.

Recado

Recado à nação: Eu estou bem e não vou fazer nenhuma bobagem. Tá bom assim?

Harry Potter 2

Digam o que quiserem de Harry Potter. Podem dizer que a narrativa é besta, que O Senhor dos Anéis é muito melhor — concordo —, eu não me importo. :P Tanto o livro quanto o filme não encantam a mim, mas a criança que eu carrego aqui dentro. Uma criança que sempre sonhou em fazer mágicas, se trasnformar em bicho e voar, seja com asas de anjo, com o poder da mente ou sobre uma vassoura. Nesse aspecto acho que vou ser criança pra sempre. :)

Agora… eu não sou o único, pelo visto. Tinha muito mais adulto que criança vendo o filme.

Por-do-sol roubado

E só dá eu roubando foto do Henry… Ninguém mandou tu ter máquina digital e eu não. :P

Eu quero um desses, é pedir demais?

Sentires

Não sei dizer como me sinto. Observo a chuva no mundo através das duas janelas desiguais de meus olhos. Uma é dia, a outra é verão. Uma espia, a outra, escuridão. Ando pela chuva como quem procura a origem de tanta água. Que horas são em mim agora? Hora de dormir? Hora de sorrir? Hora de andar? Hora de pedir? Hora de chorar? Hora de sentir. Olho as gotas que caem no chão, pequenos mundos em explosão, enquanto deixo meu mundo escorrer de meus olhos. E ando em atropelo por mundos sem fim sem querer pisar neles. Mundos de dor, chuva e alegria a procura da origem de tanta água. Sem rumo, percebo que estou parado. Um olho no céu, outro no chão. Um olho em mim, o outro não. Sinto que minha água ganha curso e ganha vida, minha vida que trafega sem poder chegar ao mar. Mas há mar depois da serra, sempre há mar. Sempre amar. E no amar a minha água de dor se transforma por sempre amar a possibilidade do amor. E vejo tranqüilo que chovo.

Aplausos

Ah, valeu! Tô satisfeito, acho que fiz bonito. Que sensação boa, meu deus! :)
Qualquer hora eu tento descrever a sensação de estar no palco. Não tem nada igual.

Alguém aí vem dançar comigo que eu tô feliz?

Agora é cuidar da vida. Aproveitar essa alegria pra contagiar o que tá precisando de um pouco mais de brilho. Vem brilhar comigo!

Showtime

It’s showtime!!!

Só que sem microfone que ópera a gente canta é no gogó mesmo.
Que baixe a preta ni mim! Minha mãe Oxum que me valha! MERDA!

Pré-recital

Aula de canto, véspera de recital:

— Maravilha! Valeram todas as broncas. Não tenho mais onde por a mão! É onde eu queria chegar com você.
— =)

Valeu, Barbudo! Eu tava mesmo precisando desse incentivo.
Injenção de ânimo em hora certa. Let it shine!

Fortaleza Assombrada

Ninguém viu os fantasmas espreitando das janelas de minha fortaleza, só eu. E quando ouvi palavras de outras eras chamarem por eles, corri.

Cortou-me a voz o choro e as palavras morreram na garganta com medo do mundo lá fora. Eu tive medo. Vi tudo de novo e não pude suportar.

Agora preciso voltar. Preciso dizer àqueles fantasmas que procurem outro castelo para assombrar. Não há lugar aqui para assombrações anacrônicas. Vou abrir os portões e deixar que o vento os leve. Pois esse é o meu lugar. Preciso voltar.

Cantilena

Torpor. Transe. Meu pensamento distante.
Notas suspensas no meu ouvido.
Meu uivo, minha caça.
Meu (en)canto de Iara.

?ria (“Cantilena”), Bachianas Brasileiras No. 5
(Heitor Villa-Lobos (1887-1956) texto: Ruth Valadares Correa)

Tarde, uma nuvem rósea lenta e transparente.
Sobre o espaço, sonhadora e bela,
Surge no infinito a lua docemente
Enfeitando a tarde, qual meiga donzela
Que se apressa e a linda sonhadoramente,
Em anseios d’alma para ficar bela
Grita ao céu e a terra toda a Natureza
Cala a passarada aos seus tristes queixumes
E reflete o mar toda a Sua riqueza…
Suave a luz da lua desperta agora
A cruel saudade que ri e chora!
Tarde uma nuvem rósea lenta e transparente
Sobre o espaço, sonhadora e bela!

Oh…

O machismo

Pra dar uma quebrada nesse clima cuti-cuti (e afastar o sono que hoje tá foda).

MACHISMO BRASILEIRO
O machismo brasileiro, comporta-se conforme a região:

O PAULISTA:
Encontra a mulher com o outro na cama e vai fazer terapia. Afinal, o problema deve ser com ele.

O CARIOCA:
Encontra a mulher com o outro na cama, junta-se a eles e se diverte.

O MINEIRO:
Encontra a mulher com o outro na cama, mata o homem e continua casado com a mulher, exatamente como manda a TFM, Tradicional Família Mineira.

O GAÚCHO:
Encontra a mulher com o outro na cama e, ao contrário do mineiro, mata a mulher fica com o marmanjo só pra ele.
PS: Conheço variações sobre o tema. ;P

O CATARINENSE:
Encontra a mulher com outro na cama e inventa outra festa alemã para beber todas e esquecer que é corno.

O CEARENSE:
Encontra a mulher com o outro na cama e, sendo o cabra da peste que é, mata os dois e arruma outra no dia seguinte.

O GOIANO:
Encontra a mulher com o outro na cama, entra em depressão, pega a viola e vai para rua à procura de outro corno pra montar mais uma dupla sertaneja.

O BAIANO:
Encontra a mulher com o outro na cama, vai sentar na sala até que os dois terminem o que estão fazendo, pra ele poder dormir um pouco.

O PARAIBANO:
Encontra a mulher com outro na cama e enche a destruidora de lar de porrada. Decepa o pênis do cabra da peste, salga e o pendura, pra fazer carne de sol”.

O BRASILIENSE:
Sempre que pega a mulher com outro na cama, de raiva vai para o Congresso e inventa mais um imposto.

Santa Cecília

Passou o dia da Música (sexta-feira) e o cidadão aqui nem tchuns! Relapso…
Minha Santa Cecília que me perdoe! :)

Canela

E por falar em acidentes e percurso, eu quero trucidar o infeliz que achou que vasos vazios, pretos, de concreto, de uns trinta centímetros ficam bem, ornam com o caminho. Minha canela não achou, não.

Doeu, caralho! Fora o talho…
Mas nada que um beijinho não resolva. ;)

Acidentes

Acidentes de percurso. Pedras nas quais a gente tropeça pelo caminho. Esbarrões que damos e tomamos por aí (ou por aqui). Erros? Não, diferenças. Incompatibilidade? Por incrível que pareça é justamente o contrário. Instigação (que palavra hedionda)? Sim.

Carinhoso

Da quarta-feira, vale a dica: Ó do borogodó, na rua Horácio Lane. Sem frescura, mas muito bom — meio quente, é verdade — e um chorinho, um sambinha com aquele povo bem da velha guarda paulistana que você nunca viu na vida, mas que toca pra caralho!

E pedindo eles até deixam você cantar Carinhoso pra sua irmã aniversariante. ;)

Descrédito

Tô precisando requentar isso aqui:

“Sabe… eu detesto ser subestimado (e eu já disse isso). Quando você é superestimado sempre tem pra onde crescer. As pessoas sempre podem se desapontar conosco, mas SEMPRE nos resta a chance de crescer, superar, progedir, aprender. Subestimar é duvidar de alguém. Eu não quero ninguém que duvide de mim. Eu não quero que ninguém duvide de mim. É só isso que eu peço.”

Tô de saco cheio! Eu fico FULO da vida quando me tratam que nem o retardado, o teimoso, o inexperiente, o que não entende nada… enfim, quando não me dão o devido crédito. Eu tenho uma linha de raciocínio. Ela pode não ser óbvia, mas é coerente. Não precisa nem concordar, é só prestar atenção.

Aniversário da Má

P?RA TUDO!!!

Obrigado. Tenho um pronunciamento a fazer. HOJE É O ANIVERS?RIO DA MELHOR IRMÃ DE CÔCO DESSE PLANETA!!! A minha, é claro. ;) A imha irmãzinha, minha maninha, minha amiga, amor da minha vida. Pra ela, tudo o que a vida tiver de melhor, de mais belo, de mais nobre, de mais feliz. Luz, sempre, que ela merece!

Ensolarado

Pra você, meu amor.

Estrada do Sol
(Antonio Carlos Jobim e Dolores Duran – 1958)

É de manhã
Vem o sol mas os pingos da chuva que ontem caiu
Ainda estão a brilhar
Ainda estão a dançar
Ao vento alegre
Que me traz esta canção
É de manhã vem o sol
Mas os pingos da chuva que ontem caiu
Ainda estão a brilhar
Ainda estão a dançar
Ao vento alegre
Que me traz esta canção
Quero que *você* me dê a mão
Vamos sair por aí
Sem pensar no que foi
que sonhei
Que chorei, que sofri
Pois a nossa manhã
Já me fez esquecer
Me dê a mão vamos sair prá ver o sol

* “Blue Cloud Sun” — Toby Mason

Eu não sei o que vocês vêem nesse mosaico, mas eu vejo um caminho através de pedras, planície, montanhas até o mar, o sol e o céu além. Já andei pelas pedras, perambulei através da planície e me encontro agora na vastidão montanhosa — última barreira. Sei bem onde quero chegar. Com os pés no chão e a cabeça nas nuvens.

Anti Lua Cheia

Eu tô estranho hoje. Aliás, hoje não, faz uns dias. Contrariando a Lua cheia eu me encontro encolhidinho. Não sei ao certo o que é, mas sei que o desgaste, o fim do semestre, estudo, trabalho, a distância, essas cousas não ajudam. Cabe a mim administrá-las e superá-las.

Mas estou, sim, com a tolerância meio baixa, sem muita paciência e um tanto mais sensível. Nessas condições optei por me abstrair das coisas que me estressam. Acho isso egoísta, sim, pros meus padrões. Pra me preservar um pouco. Preservar os outros porque eu me importo, sempre.

Só que dessa vez eu não estou tentando ficar bem pra poder ajudar ninguém. Não tento ser o centrado, o racional. Isso não importa. Nunca importou muito, embora sempre tenha feito parte. É só um pouco de energia sendo guardada pra mim mesmo. E tudo vai ficar bem, claro. Simplesmente porque eu quero. Porque eu amo e sou amado, imensamente.

E por falar em amor… deixa eu dizer pro meu amor — meu porto seguro — que o menor contato, uma única palavra já me anima e opera milagres, transforma a noite em dia. Farol. Alimento mútuo. Dupla sustentação. Mãos. O futuro está aqui. :)

Chuva ontem

Ontem.

Dia de Sol,
Tempestade à tarde,
Noite de chuva.

Pra ficar na cama,
Pra esquentar a cama a dois.
Infelizmente, só depois.

meu porto seguro.

Conselho de mãe

— Gui, leva um guarda-chuva!
— Não, já choveu, tá Sol.
— Mas vai chover de novo…

Claro… Conselho de mãe parece maldição: na mesma medida em que previne, te fode! :P

Vai cair o mundo por aqui. Socorro!

Teu riso

Roubei a foto dela, descaradamente.

Eu quero esse pequeno pedaço redondo de realidade sonhada à beira-mar.
Que se dane o resto. Eu quero o teu riso, lembra?

Tu risa
(Pablo Neruda)

Quítame el pan, si quieres,
quítame el aire, pero
no me quites tu risa.

No me quites la rosa,
la lanza que desgranas,
el agua que de pronto
estalla en tu alegría,
la repentina ola
de plata que te nace.

Mi lucha es dura y vuelvo
con los ojos cansados
a veces de haber visto
la tierra que no cambia,
pero al entrar tu risa
sube al cielo buscándome
y abre para mi todas
las puertas de la vida.

Junto al mar en otoño,
tu risa debe alzar
su cascada de espuma,
y en primavera, amor,
quiero tu risa como
la flor que yo esperaba,
la flor azul, la rosa
de mi patria sonora.

Ríete de la noche,
del día, de la luna,
ríete de las calles
torcidas de la isla,
ríete de este torpe
muchacho que te quiere,
pero cuando yo abro
los ojos y los cierro,
cuando mis pasos van,
cuando vuelven mis pasos,
niégame el pan, el aire,
la luz, la primavera
pero tu risa nunca
porque me moriría.

PS: O dia hoje tá tão lindo…

O blog dele

*Ele* acaba comigo! Aliás, ele agora tem blog.
Só que se ele continuar fazendo declarações como ESTA eu não respondo por mim!

Safado…
Deixam essas coisas na mão de criança, dá nisso! ;P
Pra quem gosta de saber das putarias através da história, um blog com… propriedade! ;)

Nona de Beethoven

Como é que aquele desgraçado do Beethoven conseguiu escrever algo como o trecho coral da Nona Sinfonia? Não tem UMA vez em que eu ouça e não me arrepie todo, não tenha que aumentar o volume. Que loucura.

Meu medo, minha prece

Uma notícia ruim — sempre escolho a ruim primeiro —, outra boa. Um alívio incomensurável a uma angústia contida, domada — eu tinha de segurar meu fôlego. Algumas mudanças nos planos.

Eu espero. Sou água que contorna as pedras. A água sempre encontra um caminho, tocando o firmamento e regando o mundo em contínua evolução. O saldo é positivo, sim! Com a espera também cresce o desejo, a ansiedade, mas aumenta a certeza, a cada dia.

Posso (me) libertar (do) meu medo, agora? Ouça a voz de quem ora. Escuta a minha prece fiel.

Ergo minha voz aos céus, aonde for, pra quem puder ouvir. Para mim. Para o Deus que me habita. Eu creio no futuro. E canto.

Sicut cervus desiderat ad fontes aquarum:
ita desiderat anima mea ad te, Deus.

Dancing days

“Abra suas asas, solte suas feras
Caia na gandaia, entre nessa festa
E leve com você seu sonho mais louco
Eu quero ver *seu* corpo lindo, leve e solto…”

A melhor coisa! Dançar loucamente, a noite (quase) inteira, cantando, rindo, suando, chegar em casa e se jogar exausto na cama. Jogate é o verbo! Tá, “na cama vazia”, nem tudo é perfeito. Mas vai ficar!

Tava com saudade de sair assim pra dançar com minha amiga-irmã-cunhada-espitirual — saudade de Ed e Gábis.

Zel, agora fiquei confuso. A gente precisa rever esse parentesco aí. Tá parecendo incesto por tabela. ;)

Baladinha

Ah, achei a danadinha… ê, baladinha! ;)

Tem uma parte em mim aqui — a suspirante — que tá tããão adolescente. Eu deixo. Preciso, até. Todo mundo precisa.

Mas *amor*, com amor se paga — suspiros, beijos, lágrimas e tudo o mais. E baladinhas também. ;)

Como eu quero
(Leoni / Paula Toller)

Diz pra eu ficar muda
Faz cara de mistério
Tira essa bermuda
Que eu quero você sério
Dramas do sucesso
Mundo particular
Solos de guitarra
Não vão me conquistar
Uh, eu quero você
Como eu quero
O que você precisa
é de um retoque total
Vou transformar o seu
rascunho em arte final
Agora não tem jeito
Cê tá numa cilada
Cada um por si
Você por mim mais nada
Longe do meu domínio
Cê vai de mal a pior
Vem que eu te ensino
Como ser bem melhor

Me ensina?

Rouge?

Eu baixo uma música, todo sentimental, pensando que é do Kid Abelha e quando vou ver… Quem é que tá cantando? Rouge?!!! ARGH!

Ninguém merece… :P

Melhor

Tô melhor — nada como um pouco de *carinho* —, mas tô estanho, carente. Acho que vou dormir um pouco, ouvir renascença inglesa (salve, King’s Singers!) e sonhar. Tô precisando voar alto, cobrir distâncias.

Intempéries

Cuidado! Cão raivoso.

Poucas coisas causam belos solavancos no meu humor como o famoso aviso-de-última-hora-que-fode-com-os-seus-planos-para-hoje-à-noite.

Caralhos me fodam!

Feriado

Bom… já que eu não vou ter o ensaio que eu deveria ter hoje — aviso prévio, nem pensar —, ‘bora correr um pouco, né? E estudar, que a coisa tá preta. Fim de semestre é isso aí.

Linhas do tempo

Minha linha do tempo, ultimamente:

A.J. ………………………….. J ………………………….. D.J.

A linha do tempo dela, ultimamente:

A.P. ………………………….. P ………………………….. P.P.M.P

ooohohohohohoho…

Under Pressure

Meses atrás coloquei essa música aqui por minha causa. Precisava dela, precisava cantá-la, berrá-la, explodir junto com ela. Tocou no som loucamente. Me ajudou.

Hoje coloco pra todos e cada um que está precisando — com quem conversei nos últimos dias e outros mais —, pessoas que, de uma forma ou de outra, ou várias, eu amo.

Para amigos. Para amores.

Under Pressure
(David Bowie, Queen)

Pressure pushing down on me
Pressing down on you no man ask for
Under pressure that brings a building down
Splits a family in two
Puts people on streets
That’s okay
It’s the terror of knowing
What the world is about
Watching some good friends
Screaming ‘Let me out’
Pray tomorrow gets me higher
Pressure on people people on streets
Okay
Chippin’ around – kick my brains around the floor
These are the days it never rains but it pours
People on streets
People on streets
It’s the terror of knowing
What this world is about
Watching some good friends
Screaming ‘Let me out’
Pray tomorrow – gets me higher higher high
Pressure on people people on streets
Turned away from it all like a blind man
Sat on a fence but it don’t work
Keep coming up with love but it’s so slashed and torn
Why? Why? Why?
Love love love love love

Insanity laughs under pressure we’re breaking
Can’t we give ourselves one more chance?
Why can’t we give love that one more chance?
Why can’t we give love give love give love give love
give love give love give love give love give love
‘Cause love’s such an old fashioned word
And love dares you to care for
The people on the (People on streets) edge of the night
And loves (People on streets) dares you to change our way of
Caring about ourselves
This is our last dance
This is our last dance
This is ourselves
Under pressure
Under pressure
(((
Pressure)))

Dormido

Lavou, tá novo! Nada que uma boa noite de sono não resolva.
Claro que com uma boa noite de sono *plus* eu até rejuveneceria! ;)

Acabado

Tô a-ca-ba-do. Vou dormir que não tá dando. Bati o recorde de energia gasta pra 3h de sono apenas. Preciso recarregar minhas baterias porque de ontem pra hoje foi realmente foda. Muita coisa. Muita gente.

Mas tudo bem porque o *meu amor* tava aqui me dengando e me fazendo um cafuné virtual (muito do real!). E agora eu vou dormir feliiiiiiizzzzzzzzz…

Lembre-se, imbecil!

Nota para um futuro bancário responsável (ou, VÊ SE APRENDE DE UMA VEZ POR TODAS, IMBECIL!!!): Essa história de entrar e sair do SERASA custa dinheiro, caralho! E você NÃO TEM sobrando! :P

Playlist

Eu sou uma pessoa que consegue encadear, numa única playlist, em um dia como esse, Lauryn Hill – Can’t take my eyes off of you, Cecilia Bartoli – La Mort d’Ophélie (Berlioz), The Cure – Friday I’m in love, The Jackson 5 – It’s Your Thing, Jose Cura – Nessun dorma (Puccini), Madonna – Like a Prayer, Maria Bethânia – Anos Dourados (Chico Buarque) e Nina Simone – Willow Weep For Me, enquanto observa a chuva pela fresta da janela do laboratório de informática.

Tá bom pra você?

Sem regime

É o seguinte: eu não tô com a menor disposição (ou vontade) de fazer regime. :P Então, como estou sem tempo pra me exercitar como se deve e sem grana pra pagar academia, essa “borda recheada” vai continuar aqui, do jeito que está, fiel, até segunda ordem.

Talvez eu dê uma corridinha por aí se o tempo melhorar. Aproveito e dou uma regulada na taxa de endorfina que a ansiedade impera. ;)

Ensaios

Ensaios offline. Da série tentativas desesperadas de manter-se acordado em aula: haikais de uma janela sem critério.

O hibisco lá fora nem suspeita,
Nessa manhã que nos espreita,
Com que vontade te belisco.

                  …

O vento serpenteia
Trazendo alento
Pela grade do meu desejo.

                  …

Pena verde escorrega
Sobre o papel branco,
Sem jeito.

                  …

Tempo forte, tempo fraco.
No compasso do meu peito,
O descompasso.

                  …

A vida ressoa lá fora.
Cá dentro,
O tempo deita suas horas.

                  …

a beleza está nos olhos
de quem vê o amor
no peito de quem sente

(pontuação opcional)

A gente vê que minha cabeça tá no dia de ontem ainda.

Sono absurdo

Será que café com guaraná em pó faz mal?
Sono? Nem… eu já transcendi esse conceito abs… zzzzzzzzz… -_-

Se por ventura eu roncar, alguém cutuca o monitor, sim?

Delírio

Ó o delírio. Estava eu olhando pro meu nome transcrito em katakana — realmente achei que ficou bonitinho, gosto de ideogramas — e pensei:

O primeiro símbolo (Gui) parece uma cruz ou um escudo, algo emblemático, que se usa na testa, que é apresentado, elevado antes de você. O segundo (re) me lembrou um braço, um gesto, movimento, algo com intenção. Trabalho. O terceiro (ru) me lembrou pernas, sustentação, um alicerce. Caminho. O último (me), claro, me lembrou uma espada, metal e eu a vejo aliada ao escudo. Um em cima, a outra embaixo.

Com essa história fui lembrar da origem germânica do meu nome, Wilhelm, que significa “elmo protetor” e parei… confesso que assustei um pouco, pois estava elocubrando tão despretensiosamente e, sem muito perceber, passei por traços fortes da minha personalidade. A maneira como me preocupo com os que amo, o meu jeito de cuidar, de me importar, de oferecer meu ombro sem muito pensar. De como tenho buscado trazer isso pra mim mesmo, cuidar melhor de mim e, com isso, fazer com que cuidem melhor de mim também. O quanto tenho caminhado.

Fiquei olhando pro desenho. Gostei! Fiquei feliz! :)
Caralho, como eu gosto do meu nome!

Pronto. Acabou o delírio.

Que chuva, hein?

Como assim? Eu vou pro Teatro Municipal debaixo dessa chuva?!
Te fode, Pedrão! Fecha já essa torneira! :P

Guirerume

Meu nome é Guirerume, né? ^_^

Bom, pelo menos é essa a transcrição para o katakana, uma das escritas fonéticas japonesas. Mas lá no Spark’s Café tá tudo explicadinho.

Trabalho muito interessante nesse site.

Ficou bonitinho.
Mas tá parecendo nome de Pokémon, agora.
(e antes que eu me esqueça, Jigllypuff é a senhora sua mãe :P)

Atacado

Eu tô atacado hoje! >;-)
Ou eu saio pra correr um pouco, ou as paredes desse quarto desabam com o meu peso.

Pensando bem… vai ser bom correr um pouco mesmo, já que eu passei o fim de semana cuidando do pânceps. :P