Cinema

Taí, vou ver Abril Despedaçado, no Arteplex ou no Unibanco, às ou às 18h ou às 20h. Ah, vá? Pelo menos o filme eu decidi. ;) Bó?

Domingo

Esse domingo eu preciso estudar, mas eu queria TANTO sair um pouco, tomar um sorvete, pegar um cinema (queria assistir O Pornógrafo, quem sabe, ou Abril Despedaçado), arejar, sabe? Alguém se habilita, assim, à tardinha? Uma coisa sem cara de aniversário.

Aniversário família

Ô, coisa boa… a casa cheia, família saindo pelas janelas, a criançada da nova geração fazendo graça. Bolo de vó de chocolate com café, óbvio (que sobrou, alguém quer um pedaço?), manjar, quitutes, quitutes, quitutes… bem se vê que a pessoa não nasceu pra ser faquir.

Mas deu, cansei. Festa, pizza e reunião familiar. Três comemorações: antes, durante e depois do aniversário é pra ninguém botar defeito. :) Melhor que isso… nem sei (mas consigo imaginar). Vinte e seis anos inaugurados em grande estilo.

Alheio

Eu tô meio alheio hoje, não sei o que acontece. É como se eu tivesse em câmera lenta com o mundo.

Under Pressure
(David Bowie, Queen)

Pressure pushing down on me
Pressing down on you no man ask for
Under pressure that brings a building down
Splits a family in two
Puts people on streets
That’s okay
It’s the terror of knowing
What the world is about
Watching some good friends
Screaming ‘Let me out’
Pray tomorrow gets me higher
Pressure on people people on streets
Okay
Chippin’ around – kick my brains around the floor
These are the days it never rains but it pours
People on streets
People on streets
It’s the terror of knowing
What this world is about
Watching some good friends
Screaming ‘Let me out’
Pray tomorrow – gets me higher higher high
Pressure on people people on streets
Turned away from it all like a blind man
Sat on a fence but it don’t work
Keep coming up with love but it’s so slashed and torn
Why? Why? Why?
Love love love love love
Insanity laughs under pressure we’re breaking
Can’t we give ourselves one more chance?
Why can’t we give love that one more chance?
Why can’t we give love give love give love give love
give love give love give love give love give love
‘Cause love’s such an old fashioned word
And love dares you to care for
The people on the (People on streets) edge of the night
And loves (People on streets) dares you to change our way of
Caring about ourselves
This is our last dance
This is our last dance
This is ourselves
Under pressure
Under pressure
Pressure

Lavar louça

Pratos, copos e talheres depois: eu ODEIO lavar louça, credo! :P Louça devia ser auto-limpante, ou comestível.

Louca

E a louca da minha professora mem mandou essa. Adorei! :)


“Você pode correr mas não pode se esconder!”

Diálogo

Lula encarnando o psicopata da caneta e desenhando em cada centímetro quadrado da tolha de papel da mesa. Enquanto isso as pessoas se divertiam com sua caneta-caveira-lango-lango-que-acende. Eu, meio alto, observando:

Eu: Como é que você consegue fazer os traços soltos e juntar tudo no desenho?
Lula, impassível: Como é que você sabe que nota tá cantando?

Corretamente… :)

Dedinha

EITA! Que bom, a Dedinha passou no vestibular da UFRJ pra (ARGH!) direito. Parabéns, lindinha! :)

Claxx

Clarice também me mandou um cartão, coisa mais fofa.


Lindinha, quando a gente enfim se encontrar, pode escrever: E foram tantos beijos loucos/Tantos gritos roucos como não se ouvia mais.

Ana também me deu um cartão, mas foi pelo ICQ e eu não consigo pegar de novo. :-\

O melhor aniversário

Foi um aniversário chique, um aniversário romântico, um aniversário sensual. O melhor aniversário (de coco) de São Paulo. :)

Mas veja lá, a gente não tem que passar pelo tal de inferno astral? Então, pra equilibrar eu acho que tinha que existir, por exemplo, um nirvana astral, tinha não? Onde tudo fosse belo, desse certo, você não sofresse, não tivesse angústias, amasse e fosse amado, simplesmente. Eu quero, fui uma boa criança. Me dá?

Post do Gábis

Gábis escreveu um post ontem, mas eu tenho que ler de novo porque o bichinho é bem pungente, com a classe que só ele tem. Eu não consigo, nem tenho o discernimento necessário. Falta-me vivência, acho.

Revisão

Bom, vamos começar revisando o que eu escrevi ontem pra ver se não escrevi besteira. :)

Enquanto isso o pão no forninho elétrico carbonizou. :P

Pergunta

A pergunta que não quer calar: qual foi a Carol que me ligou que não foi a Cagol, hein?

Chega

E chega, né? Já deu! Deu nada, amanhã tem mais: aniversário III — a família.

O genuíno bolo de chocolate. hohoho… e carne louca, e berinjela fatiada, e patê de gorgonzola, e torrad’alho e… fodeu! ;)

Mais momento

Mais.

Cagol, beeeeebe, cão!!! , cabeluda mais linda das praias cearenses, espero que você esteja melhor. Zi-nha-zo-na, eu vou arrancar as tua zoreia, sua feladaputa! QUER FAZER O FAVOR DE APARECER, CAZZO?! Balla, obrigado pelo telefonema, musamô. :)

Alexei, tu vai morrê, desgraçado! APARECE!!!

Hermes e Caçador, cêis nem me ligaram, seus corno! :P

Mau, meu xará tá melhor?

Dri, estudou?

Radar

Ai, caralho! Eu espero, sinceramente, que o radar do Viaduto Tutóia estaja desligado. Eu SEMPRE lembro dos radares no caminho de casa, mas hoje o sempre falhou.

Momento

Momento recados-de-um-coração-levemente-embriagado (“levemente” porque, depois que eu aderi à cachaça, minha escala sofreu uma alteração na definição de seus valores)

Obrigado imensamente, profundamente, amplamente às pessoas presentes. Vamos lá, em ordem de chegada: Gábis, meu fratello; Zel, minha irmã; Marcelo, meu… cunhado? (LOL!); , minha pirulita; Norbies, tava com saudades (veja bem, na festa não foi suficiente); Docinho, sua gostosa! (oops! escapou); Carpe (não preciso comentar, preciso?); Lula, que bom que você veio — ele é canhoto, gente, que nem que eu! (mão errada é os teu zóvo, tá?); Elaine, lindinha; Emerson, o vulgo bofe; Teca, meu anjo de vermelho, e… droga! Esqueci o nome da sua prima. Quase!

Porra nenhuma

E sabe o que eu fiz hoje — além de ir praquela merda de reunião, sobre a qual eu me recuso a falar hoje — o dia inteiro? PORRA NENHUMA!!! E nenhuma porra, é verdade, mas tudo bem. Não é lindo? :) Ah, eu mereço!

Ti lindo!

Não! Esse eu tenho que roubar. Olha o que ela faz comigo. ABUAAAAAAAAA?!!!

“Meu querido, algumas coisas: você é um menino maravilhoso. Eu conheço bem os seus defeitos, já até me acostumei com as coisinhas que me irritam e às vezes me fazem perder a paciência com você. Aprendi a te amar pelo seu coração enorme, pela quantidade de amor imensa que você tem pra oferecer (e oferece!), pela sua amizade sem limites. Obrigada por me aguentar quando eu tou mal, na TPM, de mau-humor, chata e triste. Obrigada por oferecer seu colo, seu apoio, sua massagem milagrosa. Você cresceu muito nesses 5 (6?) anos que nos conhecemos, eu vi você mudar de idéia, mudar de cabelo, de estilo, de tudo. E vi com o orgulho de uma irmã mais velha, de alguém que puxa a orelha mas ama muito você, muito mesmo, meu irmão querido. Você (como eu) tem esse gênio ruim que só a porra mas tem também o maior coração do mundo. E temos muito a aprender nessa vida ainda, meu querido. E vamos aprender, né? :) Feliz seu dia!”

Zel, você me conhece, sim, há anos (são 6, caralho!) e eu tenho também muito orgulho de você. Muita coisa mudou em mim e em você, em volta. Mas o amor que eu tenho por você só se fortaleceu. Obrigado, irmã.

Parabéns

NÃO! NÃO, NÃO e NÃO!!! Eu não vou colocar o Parabéns da Xuxa na tilha do blog. Um mínimo de dignidade eu tenho que manter. ;P

Fofo

Fala a verdade, eu não tô fofo nessa foto? ;) Meu vô me chamava de Chicharrão (acho que é assim, era um palhaço das antigas) porque eu vivia rindo à toa e morria de cócegas. Algumas coisas não mudam, outras se aprimoram. ;)

Feliz Aniversário pra mim!

3 de Maio, enfim! Parabéns pra mim! :)

Olá, meu nome é Guilherme e eu estou (re)nascendo hoje, pela vigésima sexta vez. Este ano que passou foi um ano de várias descobertas. Complexo. Me descobri regente. Ainda estudante, descobri que sei muito bem o que faço e faço bem. Mas descobri que posso fazer melhor. Descobri que não sou barítono, nem tenor. Sou martin, barítono-martin e que vou cantar muito ainda o repertório da ópera francesa. Descobri que se eu quiser aprender a tocar cello é bom eu criar vergonha na cara. Descobri que eu tenho que voltar a estudar piano, ou seja: eu sei muito e não sei nada ainda.

Me descobri quase magro e tem gente que tem a coragem de colocar etiqueta “P” em roupa do meu tamanho. Me descobri quase atleta! Correr é bom, quem diria?! Estou aprendendo a cuidar de mim. Descobri que sou bonito e gostoso também, a vaidade tem seu valor.

Me descobri endividado. Nada assim tão sério, mas que inspira cuidados. Profissionalmente é a hora de dar um pulo. Agora. Descobri que até o próximo ano eu tenho que sair de casa. Não dá mais. E, embora as prioridades outras tenham justificado a permanência no ninho, isso adquire hoje um tom urgente de quem briga por espaço interior. O que dirá do exterior.

Sou de temperamento forte, apaixonado, meto as caras. Tudo com uma boa dose de teimosia. Mas sou uma enorme manteiga derretida. Touro, ascendente em Sagitário, lua em Câncer. Já viu… Descobri que gosto de proteger e ser protegido. Que colo é melhor dividido. Sou bissexual, e quando gosto de homem é porque é homem, quando gosto de mulher é porque é mulher. O que não quer dizer que eu tope qualquer arranjo. Eu gosto é da pessoa e como isso acontece, ainda não descobri. Não sei como oscila a minha sexualidade porque vai além do tesão. Talvez descubra simplesmente que sou gay, as pessoas gostam de frisar isso. Mas sei que sou homem e estou feliz com isso. Pouco me importa. O que me importa é que sou romântico, gosto de dar flores e de recebê-las. Gosto de ficar olhando nos olhos, lendo os suspiros. Gosto de dormir abraçado depois que meu amor dormiu. Ouvir sua respiração mudar e só então dar o último beijo, sussurrar boa noite e me aninhar. Gosto de acordar as pessoas com sexo, trazê-las de volta à vida na base dos calafrios (ui!). Coisas tão simples, tão despretensiosas. Gosto de conversar. Gosto de sexo. OPA! E como! E tenho apetite, mas sexo, simplesmente por sexo, desconfio que faria mal à beça. Sem liga, não rola. Me preocupa? Nem um pouco. Mas meu colo é imbatível, meu abraço, convergente, envolvente e meu beijo, quente. E possuo uma memória sensorial cruel de tão boa. Lembro das pessoas (e das coisas) pelo cheiro, pelo som, pela expressão. Aliás, uma memória pra detalhes que chega a ser pentelha. Quando canto, estou dando um pedaço de mim. Quando me dou é por inteiro e isso excita, mas assusta (por que, hein?).

Esse ano me descobri amando. Depois de tanto tempo e sem nenhum aviso simplesmente aconteceu e eu me peguei sorrindo, sonhando, pensando. Pra mim foi intenso, sincero e pungente. Enquanto foi puro, simples, por um período me senti amado, e como foi bom. Mas por motivos além do meu alcance — não que eu não tenha tentado, sou teimoso —, acabou. Doeu. Ah, doeu, e eu sinto muita falta, não é segredo. Mas me sinto vivo, com o espirito à flor da pele. E não caibo em mim. “A gente vive encontrando as pessoas certas no momento errado”, disse uma amiga. Praguejei o momento errado. Não adiantou. Amaldiçoei a impotência, praguejei a mim mesmo. Não mudou nada. Praguejar está fora de questão. Se pudesse voltar no tempo, teria começado do mesmo jeito. Faz parte de mim e eu carrego com carinho. Com tudo isso reaprendi a chorar mas, nem por isso, desaprendi a sorrir. Quem sabe eu aprendo a… sei lá o que eu aprendo! A amar melhor, a mim e aos outros.

Por que tudo isso? Por que eu tô me expondo? Boa pergunta. Basicamente porque contenho pitadas deliciosas de loucura e na míriade dos meus pensamentos a vida grita em tom maior. Porque a sinfonia que eu conduzo é delicada e majestosa ao mesmo tempo, porque sou protagonista da minha própria ópera. Minha obra prima, um drama giocoso em atos contínuos. Eu. Porque eu sou forte. Por que eu tô vivo. Sei lá, talvez alguém leia tudo isso e faça sentido. Talvez alguém leia e dê risada. Talvez alguém me diga uma frase óbvia e tudo se ilumine, ou diga que é exatamente isso, que me entende. E talvez eu escreva pra mim mesmo. Talvez eu me exorcise de mim. Talvez eu dance meu último tango em Paris.

Porque eu posso, hoje é meu aniversário, esqueceu? :) Porque eu estou me dando de presente pra mim mesmo.

Oi, eu sou o Gui e o prazer é todo meu. ;)

Enquete

Ah, também vou fazer, quer saber?

1- Que horas são?
R.: 22:35

2- Nome e apelido?
R.: Guilherme, Gui, Guigui, Gordo, Porpeta, Maestro (não posso fazer nada) e outros tantos. Mas Gui é a essência.

3- Quantidade de velas no teu último bolo de aniversário?
R.: 25, mas espera um pouquinho que já muda.

4- Furo nas orelhas?
R: Dois, um em cada, chamados ouvidos.

5- Tatuagens?
R.: Nenhuma.

6- Data do seu aniversário?
R.: É AMANHÃ! É AMANHÃ!!!

7- Já te embebedaste?
R.: Ô!

8- Amaste tanto alguém que choraste muito por ele(a)?
R.: Er… sacanagem, pula essa. (Mas já)

9- Já estiveste envolvido em algum acidente de carro?
R.: Já. Bati e fui batido. Rodei também na estrada, sem motivo aparente (e não acertei ninguém).

10- Prefere Pregos ou Cachorro-quente?(Prego é pão com carne em Portugal)
R.: Pregos? Que coisa doida!

11- Peixe ou carne?
R.: Carne

12- Sprite ou Seven Up?
R.: Suco de laranja.

13- Cerveja ou champagne?
R.: Os dois, não juntos. (NÃO! CACHAÇA, NÃO! TIRA ISSO DE PERTO DE MIM!)

14- Café ou chá?
R.: Os dois.

15- O copo está metade cheio ou metade vazio?
R.: Depende. Se estiver bebendo, metade vazio. Se estiver enchendo, metade cheio.

16- Lençóis de cama lisos ou estampados?
R.: Ah… amassados. ;)

17- Cor das meias?
R.: Ih, sei lá!

18- Lugar onde te beijam?
R.: Ai, ai… inferno! (OPA! Isso foi uma expressão)

19- Feriado favorito?
R.: Longo.

20- Canção que estás a escutar neste momento?
R.: Eita, nenhuma. Mas estou pensando na do meu blog.

21- Flor(es)?
R.: Aquelas que eu dou.

22- Tema de conversa detestado?
R.: Detesto quando a conversa não ocorre.

23- Coca-cola simples ou com gelo?
R.: Com gelo e limão.

24- Tom ou Jerry?
R.: Jerry.

25- Disney ou Warner Bros?
R.: Disney.

26- Restaurante de comida rápida?
R.: Mc Donalds mesmo, acho.

27- Quando foi tua última visita ao hospital?
R.: Eita, não lembro. Acho que pra doar sangue, há… tá na hora de ir de novo.

28- De que cor é a alcatifa do teu quarto?
R.: Tá, já sei o que é essa birosca. Tenho não.

29- Como chamavas teu ursinho de pelúcia?
R.: Nunca tive ursinho.

30- Onde te vês daqui a dez anos?
R.: Cantando muito.

31- De quem recebeste este e-mail?
R.: Vai começar… peguei da Zel que pegou do Carpe

32- Quem dos teus amigos vive mais longe?
R.: A Si, minha prima, no Canadá.

33- O melhor amigo?
R.: O Gábis, mas tem tantos outros imensamente queridos que é até injustiça.

34- Hora de dormir?
R.: Quando dá sono.

35- Quem pensas que vai responder este e-mail mais rapidamente?
R.: Pula.

36- Quantas vezes deixa tocar o telefone antes de atenderes?
R.: O mais rápido possível.

37- O que tens debaixo do mouse de computador?
R.: A mesa.

38- CD?
R.: Sem condição.

39- Pior sentimento do mundo?
R.: Culpa?

40- Melhor sentimento do mundo?
R.: Amor, nos seus vários planos.

41- Primeiro pensamento que tens ao acordar?
R.: Quem é que disse que eu penso?

42- Qual o seu programa favorito de televisão?
R.: Não tenho.

43- Se pudesses ser outra pessoa, quem serias?
R.: Eu não posso.

44- Algo que tens sempre posto e nunca tiras?
R.: Um cordão de bolinhas de prata.

45- O que tens debaixo da cama?
R.: O meu cello.

46- Qual é o carro dos teus sonhos?
R.: Atualmente, teletransporte.

47- Algo para a pessoa que te enviou este e-mail?
R.: Ah, pula pra 51.

48- Nome da pessoa que talvez não te responda?
R.:

49- Aquele que com certeza te responde?
R.:

50- Quem gostaria que te respondesse?
R.:

51- O que dirias a alguém mas não tens coragem?
R.: Não posso dizer.

52- Que horas são?
R.: 22:53

Blackbird

Blackbird
(John Lennon, Paul McCartney)

Blackbird singing in the dead of night
Take these broken wings and learn to fly
All your life
You were only waiting for this moment to arise

Blackbird singing in the dead of night
Take these sunken eyes and learn to see
All your life
You were only waiting for this moment to be free

Blackbird fly, blackbird fly
Into the light of the dark black night
Blackbird fly, blackbird fly
Into the light of the dark black night

Blackbird singing in the dead of night
Take these broken wings and learn to fly
All your life
You were only waiting for this moment to arise
You were only waiting for this moment to arise
You were only waiting for this moment to arise

Chocolate

Vou comprar chocolate que eu tô nervoso. Alpino, que eu tô com vontade.

PS: E não é que o chocolate, ainda por cima, tava em promoção? Tem dia que a noite nem é tão escura assim. ;)

Undertreco

E pro povo do Undertreco que sei lá o que foram fazer na minha festa — uma festa de gente legal, divertida, sem preconceitos cretinos, que respeita a opção alheia, uma festa de a-mi-gos e não de pa-lha-ços —, um recado: eu simplesmente desconsidero gente de duas caras. Vão pra putaquepariu cuidar da mãe de vocês, ok?

“É nossa resposta artística – e por quê não? – às pequenas coações, às rotulações, aos reducionismos, à clausura sufocante, às atitudes não verbais do dia-a-dia resultantes na fórmula do que somos, pensamos e agimos.”

E ainda têm a cara-de-pau… quanta hipocrisia.

Calculadora

Precisava me colocar pra discutir as necessidades de um coral de empresa com uma contadora? Não, me diz, precisava? Não tinha NINGUÉM com um mínimo de senso artístico? Como é que eu argumento com uma calculadora? Tem dia que a noite é escura…

Tempo

Oração ao Tempo
(Caetano Veloso)

És um senhor tão bonito
quanto a cara do meu filho
Tempo Tempo Tempo Tempo
vou te fazer um pedido
Tempo Tempo Tempo Tempo
Compositor de destinos
tambor de todos os ritmos
Tempo Tempo Tempo Tempo
entro num acordo contigo
Tempo Tempo Tempo Tempo
Por seres tão inventivo
e pareceres contínuo
Tempo Tempo Tempo Tempo
és um dos deuses mais lindos
Tempo Tempo Tempo Tempo
Que sejas ainda mais vivo
no som do meu estribilho
Tempo Tempo Tempo Tempo
ouve bem o que te digo
Tempo Tempo Tempo Tempo
Peço-te o prazer legítimo
e o movimento preciso
Tempo Tempo Tempo Tempo
quando o tempo for propício
Tempo Tempo Tempo Tempo
De modo que o meu espírito
ganhe um brilho definido
Tempo Tempo Tempo Tempo
e eu espalhe benefícios
Tempo Tempo Tempo Tempo
O que usaremos pra isso
fica guardado em sigilo
Tempo Tempo Tempo Tempo
apenas contigo e migo
Tempo Tempo Tempo Tempo
E quando eu tiver saído
para fora do círculo
Tempo Tempo Tempo Tempo
não serei nem terás sido
Tempo Tempo Tempo Tempo
Ainda assim acredito
ser possível reunirmo-nos
Tempo Tempo Tempo Tempo
num outro nível de vínculo
Tempo Tempo Tempo Tempo
Portanto peço-te aquilo
e te ofereço elogios
Tempo Tempo Tempo Tempo
nas rimas do meu estilo
Tempo Tempo Tempo Tempo

Pensamento

Onde Estará O Meu Amor
(Chico César & Maria Bethânia)

Como esta noite findará
E o sol então rebrilhará
Estou pensando em você
Onde estará o meu amor?
Será que vela como eu?
Será que chama como eu?
Será que pergunta por mim?
Onde estará o meu amor?
Se a voz da noite responder
Onde estou eu, onde está você
Estamos cá dentro de nós
Sós…
Onde estará o meu amor?
Se a voz da noite silenciar
Raio de sol vai me levar
Raio de sol vai lhe trazer

Muito o que pensar. Muito o que sentir. Muito o que lutar. Muito o que morrer. É uma vida toda em movimento. Lento.