Aviso aos navegantes… Vou voltar,

Aviso aos navegantes…

Vou voltar, ainda vou voltar…
É isso. Eu sumi essa semana mesmo. Não falei com ninguém, não li emails, não nada. Quer dizer, não tudo porque eu precisava passar de semestre. Acho que passei em tudo até agora, vamos ver. Falta só uma análise de sinfonia pentelha, mas é pra semana que vem.

Aos amigos, muita saudade. Muita, muita, muita mesmo. :-***
É uma merda ficar longe. Eu quero saber como tá todo mundo, se tá bem, porque não tá bem. Eu sou assim de pegar no colo, cuidar, regar. Fico mal quando não tô exercitando meu carinho. Gosto de dar e receber atenção mesmo, porquenao?

Ai, cacilda… *** Retratação blogueira

Ai, cacilda…
*** Retratação blogueira pública ***
Zel, eu não tenho pobrema, eu tenho pregui… Comecei a editar aquela coluna da direita — nem lembro de onde eu peguei todos aqueles links, nunca li todos — e nunca terminei. Vou apagar aquela bosta e vai ficar uma coluna vazia mesmo, pronto!

Infâmia, calúnia e difamação!!! Os amigos estão *sim*, só que na coluna da esquerda! :PPP Tá, tudo bem, tá desatualizada, mas você e o Gábis tão lá no topo, qualé? Er… quicaconteceu com os acentos que tavam ali eu não sei…

Bom, meu dia ontem foi

Bom, meu dia ontem foi uma merda. Ponto. Pra compensar, malhei e nadei como um condenado. Resultado: tô moooole! :) Os bracinhos tão pesaaaados. Mas é isso aí, tô pronto pra outra.

Xangô, meu pai, que fim

Xangô, meu pai, que fim de semestre é esse, pode me dizer? Eu, com avaliação e recital de regência semana que vem e o pianista que iria acompanhar a minha peça — Brahms, para coro e orquestra — me diz, na maior cara-de-pau: “então… não vou poder tocar, foi mal aí.”

Como assim não vai dar pra tocar, cara-pálida??? Me avisa uma semana antes? O que é isso? Eu tô ficando doido, não é possível. Ah! Sim, a besta é meu colega de turma, regente também. Que lindo, não? Que coleguismo… Eu devia era desafinar na peça dele. Por que eu tenho escrúpulos nessas horas?

Ah, jacaré… tu ainda vai virar cinto, espera só. Inferno!

Gente! Hoje é aniversário da

Gente! Hoje é aniversário da minha irmã!!! Hã? Você não conhece minha irmã? Azar o teu! :P Elá é linda, poderosa, carinhosa — temperamental, é verdade, mas é minha irmã, o que você queria? —, a melhor irmã do mundo!

Má, pra você, tudo o que há em mim. :-*

PARABÉNS!

Em tempo. A feijoada ontem

Em tempo. A feijoada ontem na casa da Zel foi diumtudo. Eu juro que eu não acreditei quando aquele bando de loucos resolveu me pedir massagem *depois* de uma tarde de feijoada, mas enfim… a gente fazemos o que podemos. Se bem que já fazia umas horinhas. Eu, pelo menos, não comi demais.

Preciso declarar publicamente aqui que a Kika tem muito potencial massagístico — e uma pele deliciosa, diga-se de passagem, pronto falei! Recebi uma massagem muito boa. :) Saí leviiiinho.

Ai, ai… Sinto que vou

Ai, ai… Sinto que vou entrar naquele estado neurótico-depressivo chamado fim de semestre, onde ninguém pode fazer coisa alguma pra te ajudar, você já deveria ter feito tudo isso antes — e sabia disso! —, é simplesmente inadmissível deixar qualquer coisa pra trás e, mesmo sendo a situação periclitante, você ainda fica escrevendo abobrinhas nesse blog.

Pelo menos eu não tenho a sensação de que não fiz nada durante o semestre. Fiz coisa pra caralho, mas que podia ter sido mais organizadinho, isso podia.

Engraçado… acima dos deuses ainda

Engraçado… acima dos deuses ainda há o destino que se move de forma inexorável. Entretanto, acredito que ele se altera, transmuta a cada respiração nossa. Respire então, doce amigo, como se cada alento trouxesse à tona a quintessência de sua alma e verá refeletido nos olhos d’outro, pois o destino ali se forma, que o que tiver de ser, será.

Nós que aqui estamos, por ti torcemos.

[chorus mode]
“Siga para a luz, Caroline!”

Ontem teve recital de canto

Ontem teve recital de canto e música de câmara. Foi legal, foi bom, dentro dos limites — sim, minha auto-crítica é feroz e vai continuar sendo enquanto eu não resolver certos *detalhes* técnicos, o que deve levar… vejamos… uns vinte anos. :)

Não fosse o fato disso me atrapalhar na escolha de repertório — pra quem não sabe, isso influencia o estudo da técnica profundamente — a situação seria até engraçada. Tá uma luta de facções no IA: metade acha que eu sou tenor e a outra metade, barítono. Pra um tenor, eu tenho a voz pesada. Pra um barítono, leve. Famosa coluna do meio, sabe? Uma coisa meio Plácido Domingo (seu eu tiver a interpretação dele, tá valendo).

E minha professora, que não é boba nem nada e competente além da conta, afirma categoricamente que não sabe dizer ainda se eu sou mais pra lá ou mais pra cá. E é isso mesmo, ela tá certa. Depende do quanto minha voz encorpar, ou do quanto minha voz brilhar, subir, descer, sei lá!!! Eu não sei mais nada.

Eu estou sem grana. Tu

Eu estou sem grana.
Tu estás sem grana.
Ele está sem grana.
Nós estamos sem grana.
Vós estais sem grana.
Eles estão sem grana.

Estamos todos na merda. :) É impressionante. Acabei de ler que o número de seqüestros subiu vertiginosamente esse ano. Tão seqüestrando gente a pé, no ônibus e pedindo quantias de até R$500,00 como resgate. Não fosse isso um indício de que a coisa tá preta, de que a vida humana não está lá muito bem cotada, eu me sentiria profundamente ofendido se me catassem no busão e meu resgate fosse, basicamente, vale transporte e “tique” refeição.

PS: Não obstante, aceitamos doações, tá? ;-)
PS2: Sabe que a expressão “tô vendendo saúde” ganha um novo significado agora? Hmmm… não, vendo não. :P

Er… bem… realmente Zel, dar

Er… bem… realmente Zel, dar de cara, quer dizer, de bunda com o Marcelo não foi umas das coisas mais… esperadas na minha pressa — eu super achei que só tavam esperando por mim pra sair, só esqueci quem eram os *dois* que estavam me esperando. :) Enfim, foi mal… mas foi engraçado. :P Da próxima vez eu improviso uma campainha, tá?

A Doce Canção Pus-me a

A Doce Canção

Pus-me a cantar minha pena
com uma palavra tão doce,
de maneira tão serena,
que até Deus pensou que fosse
felicidade – e não pena.

Anjos de lira dourada
debruçaram-se da altura.
Não houve, no chão, criatura
de que eu não fosse invejada,
pela minha voz tão pura.

Acordei a quem dormia,
fiz suspirarem defuntos.
Um arco-íris de alegria
da minha boca se erguia
pondo o sonho e a vida juntos.
O mistério do meu canto,
Deus não soube, tu não viste.
Prodígio imenso do pranto:
– todos perdidos de encanto,
só eu morrendo de triste!

Por assim tão docemente
meu mal transformar em verso,
oxalá Deus não o ausente,
para trazer o Universo
de pólo a pólo contente!
(Cecília Meireles)

É muito lindo isso, viu. Um dragão me contou que hoje é o centenário de Cecília Meireles. Oxalá Deus que eu faça jus a esse poema.

Gente, o Gabis é um

Gente, o Gabis é um anjo, um Arcanjo, um amor! Ele traduziu do françês pra mim uma peça de Berlioz. Ele jura que fez correndo, que tava literal, mas colocou até bula pra mim. Gábis, cê num tá entendendo, T? ÓTIMO!!! Eu ia demorar dias pra fazer metade daquela tradução. Obrigado, fratello.

Tô p-p-podre :P Só o

Tô p-p-podre :P Só o bagaço, o pó da rabiola. O monitor da musculação hoje veio dizer impressionado que as minhas cargas tão subindo muito rápido, que eu pego força muito fácil e que eu devia fazer jiu-jitsu — Hmm! sei… E eu querendo fazer yoga.

Maigódi! O feriado acabou. :-\

Maigódi! O feriado acabou. :-\ E tá tudo pela metade aqui, socorro. Essa semana vai ser foda, mas não vai ser foda nem foda, embora espero que fodam. :)

E eu tenho que agradecer ao Gábis que, num ato de ajuda incomensurável, traduziu uma peça em francês do meu repertório de música de câmara. Agradecidíssimo! **SMACKS**

Zel, o terceiro livro da

Zel, o terceiro livro da sua série DragonLance tem (???) marcas de mordidas! Eu não sabia que os seus bebês eram poliglotas. Que chique!

Ah, sim… eu espero que

Ah, sim… eu espero que meu vizinho tenha backups dos arquivos dele, pois algum vírus faminto andou fazendo um estrago aqui que só. Tá tudo fodido.

Bom, agora ele vai mudar de categoria, enquanto usuário. Pois o mundo dos computadores é dividido em dois tipos de pessoas: as que fazem backups e as que *ainda* vão fazer. :)

LOL! Alguém pode me explicar

LOL! Alguém pode me explicar o que tô eu aqui fazendo ouvindo Abba? Eu comecei a noite ouvindo Bach, isso eu lembro. Mas como é que eu cheguei em Abba, meu deus?! *HAHAHAHAHAHHAHA*

Sabe o que eu odeio?

Sabe o que eu odeio? Eu odeio quando eu tô fazendo manutenção em algum micro e o dono — no caso, o pentelho do meu vizinho — fica que nem um papagaio de pirata por cima do meu ombro perguntando “o que é isso?”, “o que você fez?”, “como é que eu vou fazer…”, “como é que se faz…”, “o que…”, “como…”, “quando…”, “por que…”. AAAAAAAAAARGH!!! Inferrrno! :P Enquanto isso, o pobre micro com suas entranhas a mostra, tal qual um paciente dilacerado, me inspira a chicoteá-lo com o cabo do HD. :P E eu peço encarecidamente — muita calma nessa hora, muita expressão, muito drama — pra ele ir procurar um disquete importantérrimo que, eu tenho certeza, ele não tem a mínima idéia do que se trata ou onde pode estar mas, mesmo assim, ele vai a sua procura, pois a sobrevivência de seus preciosíssimos contatos de e-mail depende basicamente disso :).

Ai, ai… a calma e a tranqüilidade que o sadismo nos traz vez em quando…